Esta é uma rede social de escritores,artistas plásticos  e músicos, para associar-se a Literarte - Associação Internacional de escritores e artistas, entrem no site www.grupoliterarte.com.br e conheça todas as vantagens em ser um associado!

 

 

Denize Rodrigues Carneiro
  • Feminino
  • Cabo Frio, RJ
  • Brasil
Compartilhar
  • Mensagens de blog
  • Tópicos
  • Eventos
  • Grupos
  • Fotos
  • Álbuns de Fotos
  • Vídeos

Amigos de Denize Rodrigues Carneiro

  • Anna Ribeiro
  • Maria de Lourdes Borges Werlang
  • Suely Ribella
  • Arnaldo Leodegário Pereira
  • Rosangela Calza
  • Fernando Calderón Boris
  • Edson De'Oliveira
  • Júnior Rotava
  • Dill Ferreira
  • RAIMUNDA DE LAVOR NETA
  • Janete Berwig
  • Elabora Textos
  • Marcus Vinicius Bertolini Rios
  • José Araújo
  • Sandro Henrique Souza
 

Página de Denize Rodrigues Carneiro

Da próxima vez...

           Da próxima vez...

 

Da próxima vez, eu me levanto da cadeira, faço um sinal para a periguete na mesa ao lado e a convido a se sentar à nossa mesa. Assim: fina e elegante como uma lady. Quero ver só a sua cara de paspalhão. Ah, vou, se vou... Você vai ver só o que é bom pra tosse. Vou dizer para aquela piranha lá, ó, em alto e bom som, que é uma medida preventiva para que meu marido não quebre o pescoço; ou para que não tenha um torcicolo; ou para que não fique vesgo, nem que pareça um gato à espreita de caçar um sabiá, ou, simplesmente, para que não venha a chamar a atenção dos demais ocupantes deste restaurante por parecer um debiloide, se escarafunchando todo no próprio corpo com inúmeros trejeitos e falsetes para olhar a moça sem parecer que a está olhando. E também para poupá-los, e aos nossos amigos acompanhantes sentados à nossa frente - nesta noite que se prometia romântica -, de uma cena mais dramática, como por exemplo: prato de comida na cara de um marido..., toalha de mesa arrastada com tudo que há em cima..., gritos, xingamentos, baixarias..., ou o arrastão decadente de uma mulher puxada pelos cabelos, que tal? E mais o que vou deixar de citar para não parecer ameaças. Então, para evitar tudo isso, da próxima vez, eu convido, com uma educação palaciana, a distinta criatura do mundo dos avatares - tal a curiosidade que causa a você -, que venha a sentar-se conosco, de preferência frente a frente com sua cara decrépita de animal predador. Ou, então, da próxima vez, se eu tiver uma recaída de esposa “dama na mesa e puta na cama" - que é uma tremenda conversa fiada de machão dos anos 30 para esposinhas tolas se comportarem bem -, eu digo para os amigos que tiverem a infelicidade de sair conosco, achando, “coitados!”, que se tratava da companhia de um casal super-resolvido, que tive um mal intestinal súbito e preciso ir correndo ao banheiro, e, chegando ao toalete, ligo para um táxi (que trarei sempre, doravante, como um trunfo, o cartão de um taxista em minha bolsa), e mando que me apanhe, o mais rápido possível, nos fundos do restaurante. E, aí, sim, ora, aí está, ô mulheres, uma vingança com luvas de pelica: sair à francesa. Deixar o marido passar a maior vergonha. Preste bem atenção ao desfecho, por que isto ainda há de acontecer: o tempo passa na mesa..., posso imaginar agora com meus olhinhos fechando pra melhor visualizar a cena: você, marido, achando que por um curto tempo, eu deixei o campo livre..., aí, aproveita para olhar a sirigaita sem precisar fazer essa cara disfarçada de arquiteto examinado o teto do restaurante, ou ficar aí com essa cabeça virada para o meu lado e os olhos virados pro outro lado, pra lá, onde está sua fantasia, seu desejo, seu prazer – Seu cafajeste! -, e que agora, com minha ausência, pode se deliciar livremente saboreando o prazer de dar asas aos seus fetiches tanajúricos – porque aquela lá, é sim, uma formiga saúva-gigante -, aí, sem culpa, porque tem uma megera do seu lado, uma ciumenta irrecuperável, uma esposa autoritária, uma barraqueira..., isso tudo você vai pensando enquanto satisfaz seu apetite de onça-pintada espreitando o gado. Então, depois de muito tempo, o amigo... Não. O seu amigo também está olhando de esguelha para a piranha. A esposa está ao seu lado – uma babaca, como eu -, então, é a amiga que o alerta sobre a minha demora. Aí, você sugere que ela vá lá ao toalete feminino ver se eu tive um mal súbito. Mas ela não quer arredar o pé daqui - certo, eu faria o mesmo -, também está desconfiada com seu marido que só podia mesmo ser seu amigo: outro “galinha-irrecuperável”! Aí, você fica esperando que eu surja a qualquer momento, pálida pela dor de barriga, ou ruborizada de vergonha pelo tempo levado no vaso sanitário, enquanto você se delicia com uma musa com a metade dos centímetros da minha cintura, com uns peitos siliconados à mostra, com uma bunda de Juliana Paes, com uma cara de “se tiver desacompanhado eu pego”. Então, o tempo passa e você nem nota, e a amiga preocupada chama-lhe a atenção mais uma vez para o tempo que estou no banheiro. E, só aí, você percebe, olhando o relógio, que o tempo passou mesmo, que pena, ah, tá na hora de procurar a esposa, deixar aqueles olhos de gazela que agora correspondem aos seus olhares de lobo faminto, e verificar o que acontece com a anta da sua mulher que não saí do banheiro faz tempo. Mas você ainda insiste com a amiga para ir ao toalete verificar a demora com a aprovação do bandido do seu amigo, que também quer ficar sem a esposa. A amiga cede. Está preocupada... Além do mais, não quer parecer ciumenta. É uma mulher moderna. E, aí então, é aquela festa! Na ausência das duas cornudas, os piranhudos se fartam! Agora com os pescoços totalmente virados pra prostituta - aquela puta com pose de donzela militante – que se sente enaltecida com dois tarados devorando seu corpo bamboleante na cadeira. Então, finalmente, a amiga volta, mais branca do que se fosse ela a autora do transtorno intestinal, e senta-se à mesa com cara de segredos, e comunica que eu fugi pelos fundos, conforme relato da mulher que cuida dos banheiros. Aí, você pasmado, entende tudo - até que enfim! -, que eu estou magoada, humilhada, infeliz, destruída, acabada... Ou será que ainda vai pensar que fui procurar um médico pra curar dor de barriga? Só falta essa. Do jeito que você fica lerdo quando vê mulher bonita... Então, você se levanta preocupado, culpado, triste... Tudo está mal agora no seu mundo de caçador implacável de formigas tanajuras. A moça já não parece tão gostosa assim. Fica um sabor amargo daquela noite entre amigos que eu tanto desejei; que eu tanto me preparei; que nós planejamos juntos, aliás. Você sai derrotado. Paga a conta sozinho. Faz questão. Tá certo. Afinal, você é o causador dos transtornos que estragou o programa dos seus amigos, com sua inconsequência, sua irresponsabilidade para com o casamento, sua falta de sensibilidade com os sentimentos da sua mulherzinha, tão boazinha pra você; que até preparou a roupa que você veste agora. Enfim, você sai arrasado com sua galinhagem escrota e cafona. Mas... E se você sentir um alívio?... E se você ficar furioso com aquilo que sempre diz ser ciúmes infundados?... Paranoia?... Não. Eu tenho certeza que vi, de rabo de olho, seus olhares furtivos pra moça da mesa ao lado. E se você, com raiva, por vingança da vergonha de ser abandonado perante terceiros, resolver chamar a moça à mesa, ou ir até ela... E num revide, termina a noite...  Não! Não quero nem pensar: o tiro saindo pela culatra. Santo Deus, eu morro! Vamos combinar: da próxima vez, eu digo pra mim mesma que estou enganada; que é coisa das minhas fantasias; que é coisa de mulher ciumenta. Da próxima vez, eu jogo meus braços por cima dos seus ombros e o cubro de beijos à primeira impressão de perigo, eu conto para os amigos cenas quentes e picantes da nossa lua de mel, pra reavivar suas lembranças; ou coisas engraçadas que nos aconteceram e que você riu muito; eu divido com você aquele seu prato preferido que eu odeio; eu digo que o amo; eu cochicho ao seu ouvido aquele seu fetiche recusado em momentos de síndrome de moça-virgem. Da próxima vez eu recarrego o batom, eu procuro sua mão por debaixo da mesa, eu me aconchego ao seu corpo, eu lembro você de mim.

            Da próxima vez, eu aguento, mas não saio pra ir ao banheiro de jeito nenhum.

Caixa de Recados (9 comentários)

Você precisa ser um membro de Associação Internacional de Escritores e Artistas para adicionar comentários!

Entrar em Associação Internacional de Escritores e Artistas

Às 17:35 em 26 agosto 2015, hope disse...
Olá Paz seja convosco,

Eu desejo que você e sua família momentos felizes da vida agora e para sempre amém. Por favor, eu não tenho relação formal com você, mas por causa da minha situação e as circunstâncias presente Eu sou feito entrar em contato com you.I ter sido vítima de câncer e têm uma vida curta para leave.I fiz a minha mente para doar a minha herança de 6,5 milhões de USD para os menos privilegiados por favor me ajude a cumprir o meu último desejo.

Entre em contato comigo através do meu e-mail privado: glorysamuel54@gmail.com

Espero ouvir de você

Obrigado

Mrs Glória Samuel.
E-mail: glorysamuel54@gmail.com
Às 19:47 em 5 julho 2015, rodrigo xavier disse...



 

Ribeira Brava- Madeira / Portugal

 

A Associação de Poetas de Região Autónoma de Madeira e a Editora Mágico de Oz,em comemoração ao crescimento da difusão da Literatura brasileira em Portugal e com apoio institucional da secretaria de cultura de S.G do Amarantes, a Editora Mágico de Oz, pelo quinto ano consecutivo estará realizando no dia 22 de agosto, sábado, à partir das 19 horas ,no Salão Nobre da Casa mais Portuguesa do Rio de Janeiro - Casa das Beiras.

mais uma edição do Prêmio Anual Escritor Lusófono por Excelência 2015.

 

Esse encontro tem como objetivo homenagear e divulgar, Galardoar e reconhecer

profissionalmente por sua atuação com ética e competência no exercício de sua atividade artística e destacada participação com êxito e sucesso em atividades literárias no decorrer do ano de 2015, com a entrega do Diploma de Honra ao Mérito ¨Melhores Poetas Luso-brasileiros” . O evento contará ainda com convidados especiais que serão paraninfos e patronesses da festa, como o fundador da Editora Mágico de Oz, que reside atualmente no RJ. Esse ano pela primeira vez será montado um catálogo com foto e biografia dos premiados que será levado para o Encontro de Escritores organizado pela Associação de Escritores Moçambicanos com apoio da CPLP ( Comunidade dos Países de Língua Portuguesa)

 

Isso posto, após a seleção de sua obra por indicação de entidades parceiras e competentes, temos a satisfação de convidar V.Sª para receber esta homenagem tão especial com o Diploma de Honra ao Mérito e troféu,  nesse evento dedicado aos profissionais de sucesso em uma manhã de requinte e orgulho para todos.

Certa de poder contar com V.Sª. nesse evento, antecipo a vós, nossos agradecimentos e aguardo breve confirmação para reservas de convites.

Na confirmação solicito o envio de um breve curriculum (1 lauda de 8 linhas), o valor de participação é de R$600, 00 (Seiscentos reais) com direirto a 1 acompanhante no Cocktail, que são necessários para arcarmos com a locação do espaço, equipamento de som, compra de troféus, confecção de diplomas e pagamento das despesas do Buffet que será oferecido após o Evento.

Cada participante terá direito a colocar seus livros á venda no Stand da Literarte na Bienal do RJ, durante os 11 dias de Feira ( Somente exposição e Venda- Não é incluido horário exclusivo de lançamento, caso deseje este momento será necessário um agendamento junto a Literarte ( financeiroliterarte@gmail.com)

 

O Evento contará também com a apresentação do Rancho Folclórico de Portugal.

 

 

O pagamento poderá ser efetuado em duas parcelas, sendo a 1ª que confirmará sua presença até o dia 10 de julho  e a segunda até o dia 10 de agosto.

 

O valor deverá ser creditado no Brasil na

Conta corrente da Editora

 

Banco Itaú

 

AG 8595

Conta 31371-2

Mágico de Oz Empreendimentos Editoriais

CNPJ: 18576845/0001-95

Àqueles que moram no exterior devem enviar via Moneygram para Angela Maria Peliccione Feingold ( Não podendo haver rasuras no nome)

 

Todos os nomes serão anunciados em nosso site:

 

http://magicodeozpt.blogspot.com.br/

 

ou através deste email.

 

 Estimamos que nosso encontro sele nossa amizade e trabalho pelos anos vindouros.

Às 8:31 em 17 janeiro 2014, Jane Abraham disse...

oi,
É o meu prazer em contato com você depois de ver o seu perfil que realmente me interesse em ter comunicação com você eu vou ficar muito feliz se você pode escrever-me através do meu e-mail para a comunicação mais fácil e saber tudo sobre o outro, ( janeand300@yahoo.com ) eu estarei esperando para ouvir de você logo.
a sua Jane.

Às 13:02 em 23 outubro 2013, Arnaldo Leodegário Pereira disse...

Bom dia Denize Rodrigues Carneiro! Desculpe a demora! Seja bem vinda ao meu roll de amigos!  É  um prazer ter sua amizade, partilharmos conhecimento e literatura! Abraços bjs!

Em 8:58pm on outubro 22, 2013, Wagner Marim deu para Denize Rodrigues Carneiro um presente...
Presente
Uma grande honra em tê-la como amiga, Denize. Grande abraço.
Às 19:32 em 22 outubro 2013, Fernando Calderón Boris disse...

Minha cara colega muito obrigada a Primeira Jornada da Cultura de Angola em Jacarepaguá foi um verdadeiro sucesso. Espero que o próximo ano estemos novamente juntos esta vz contando com a presença de alguns de meus novos colegase amigos, como vc claro está.

Um grande abraço.

Lic. Fernando Calderón.

Enkandemo.

Às 18:23 em 31 janeiro 2013, Sandro Henrique Souza disse...
Seja bem-vinda!
Abraço!
Às 20:26 em 11 outubro 2012, RAIMUNDA DE LAVOR NETA disse...

Boa noite na paz de Deus.

Estou passando para lhe fazer um pedido de amizade.

Acabei de me associar a Lierarte e gostaria de fazer vários amigos a amigas.

Abraço de paz e um sorriso de alegria e viva a poesia.

Às 20:23 em 11 outubro 2012, RAIMUNDA DE LAVOR NETA disse...

 
 
 

© 2017   Criado por Izabelle Valladares.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço