Esta é uma rede social de escritores,artistas plásticos  e músicos, para associar-se a Literarte - Associação Internacional de escritores e artistas, entrem no site www.grupoliterarte.com.br e conheça todas as vantagens em ser um associado!

 

 

Eurico de Andrade
  • Masculino
  • BRASILIA - DF
  • Brasil
Compartilhar

Amigos de Eurico de Andrade

  • Anabel Diequisisque
  • VIVIANE MARCONATO
  • Gilson Silva de Lima
  • Tonho dos Anjos Açucena
  • Arahilda Gomes Alves
  • Escritora Dothy Medeiros
  • Amélia Marcionila Raposo da Luz
  • Mário Osny Rosa
  • José Nunes Pereira
  • vieira calado
  • JUSSÁRA C GODINHO
  • Eunísia Inês Kilian
  • Adriana La Terza  (Ariadne)
  • Ubiracy Olimpio
  • helena de paula

Presentes recebidos (2)

De Elise Schiffer De MÁRCIA RODRIGUES PEDROSO
 

Página de Eurico de Andrade

As Medidas Perdidas

Zequinha Faria tava pra lá dos 70 anos e já tinha a vista cansada. Não acertava com os óculos comprados sem receita médica. Era famoso pela humildade e pela desordem que imperava em sua sapataria, a mais antiga e tradicional de Tabuí.
            Mesmo desorganizado, os fregueses não o abandonavam devido aos preços camaradas que ele cobrava pelos seus serviços. Geralmente seus calçados eram feitos sob encomenda e sob medida.
            Um dia chegou à sapataria o senhor Tonico Teixeira, lá das bandas da fazenda Toatoa. Tonico Teixeira, também pra lá dos 70, era homem sério, de semblante rude e voz arrogante. Cumprimenta o velho Zeca, pergunta pela noiva e pela data de casamento.

- Compade Tonico, a data do casamento só depende do meu irmão, o Padre Faria, que a quarqué hora entra de férias lá em Bambuí. Aproveitano sua pergunta, inté vô te convidá pra ocê ajudá a me amarrá!
- Uai, compade  Zeca, é todo meu prazê! Inté vai interá treis veis que ti apadrinho, ne memo? Antão, compade Zeca, vamo aproveitá e tirá a midida dos meus pé pra ancê fazê uma butina bem bunita pro dia do seu casório!
Tonico Teixeira tinha os pés curtos e esparramados, formando um semi-círculo. Zequinha Faria pegou caneta, papel e fita métrica. Media os pés do seu compadre e cautelosamente anotava as medidas, coisa que outros sapateiros da cidade não se aventuravam a fazer. Eram sabedores de que não encontrariam formas adequadas para aqueles sofridos pés.
- Quando é que fica pronto, cumpade Zeca?
- Daqui uns 15 dias tão prontos compade Tonico!
Passados os 15 dias, tá lá o velho Tonico na porta da sapataria.
- Pronto, cumpade?
- Não!
- Pra mode quê?
- Perdi as mididas.
- Antão nóis tira outra, cumpade Zeca!
Tiraram outras medidas e marcaram o dia da entrega. Novamente o desorganizado sapateiro perdeu o papelinho onde anotara tudo. Começou a pensar nos coices, na arrogância e no falatório do cumpade. Fazer o quê? Numa breve reflexão, lembrou-se de São Judas Tadeu, o santo das causas impossíveis. A solução veio na hora. Pegou um prato esmaltado, um pedaço de vaqueta, afiou a faca, colocou dois óculos no rosto magricelo, olhou pra frente, olhou pros lados e falou:
- Seja o que Deus quisé!
Meteu a faca na vaqueta, cortou-a na forma do prato, solou os cortes, colou os saltos e pronto. Estavam prontas as benditas botinas. Parecia um rodeiro. No dia marcado chega o velho fazendeiro.
- Tão pronta as butina, cumpade?
- Sim!
- Antão dexa eu isprementá, pra vê si é preciso de currigi!
O carrancudo fazendeiro enfiou os pés nas botinas, deu uma volta, repetiu o desfile, parou, olhou admirado pra elas, levantou os olhos em direção ao compadre Zeca e admoestou:
- Cumpade Zeca, sê organizado! Num perca essa midida! Ancê tem mão de fada pra tirá uma midida!
O velho sapateiro, com voz pausada e tímida, respondeu:
- Num tem perigo, compade Tonico ! Enquanto existir prato esmartado pra vendê, num vai fartá midida pros seus pés!

Blog de Eurico de Andrade

Uma tentativa de resgate da cultura popular

Postado em 1 maio 2013 às 13:32 0 Comentários

Sabe aquelas conversas à beira do fogão à lenha que tínhamos nos velhos tempos, lá na roça? E aquelas rodas de bate-papo, tão comuns nas cidades, no “terreiro da sala”, quando ouvíamos os mais velhos contando-nos histórias e mais histórias das famílias, dos amigos ou dos antepassados?

Pois bem. Tudo isso praticamente acabou, com o advento dos modernos meios de comunicação, principalmente a televisão. A novela, de grande apelo popular, veio substituir esse contato familiar e…

Continuar

Novidades da Cidade Grande

Postado em 26 outubro 2011 às 21:24 0 Comentários

Jo Geada. Velhinho roceiro. Morava no Pindura Saia, a umas três léguas de Santa Maria do Tabuí. Branquicento. Sistemático. Todo caladinho e muito trabalhador. E tinha que trabalhar muito, pois, na base do silêncio, conseguiu, com a sua Jandira,…

Continuar

Uma certa menina do interior

Postado em 24 outubro 2011 às 23:33 0 Comentários

   Ozária morava no Tabuí. De família pobre, como pobre era a cidadezinha. Mas Ozária tinha um sonho e resolveu colocá-lo em prática para mudar de vida. Decidiu ir pra capital. Ganhar a vida como empregada doméstica. Ser doméstica na capital não era coisa pra qualquer uma não. E lá se foi Ozária, vestidinho de chita, precata roda, trança no cabelo preto…
Continuar

Pelo Dia do Professor

Postado em 15 outubro 2011 às 12:37 0 Comentários

Faço minhas as palavras da Tia Betânia, - autora da oração que coloquei abaixo - minha mestra há apenas 32 anos. Aí eu paro e rezo pelas minhas primeiras professoras em Tapiraí-MG, meus muitos professores em Carmo do Rio Claro-MG, em Aparecida-SP e em Lorena-SP. Dos muitos professores com quem trabalhei em Heitoraí-GO, Santa Bárbara-MG e Brasília-DF. Rezo também por aquelas e aqueles meus alunos que hoje são professoras(es) ou que estão ensinando alguma coisinha do que aprenderam comigo por…

Continuar

Caixa de Recados (8 comentários)

Você precisa ser um membro de Associação Internacional de Escritores e Artistas para adicionar comentários!

Entrar em Associação Internacional de Escritores e Artistas

Às 11:43 em 14 dezembro 2011, Elba Gomes de Andrade disse...

Obriga pelo convite amigo,gosto de escrever, faço Poesias,tenha um bom dia.

Às 18:13 em 26 outubro 2011, Jandyra Abranches disse...

Grata pela gentileza do convite. Grande abraço. Saudações literárias.

 

Jandyra Abranches

Às 21:11 em 25 outubro 2011, Diva Mendes disse...
Eurico fico feliz por ser sua amiga, em breve estarei alimentando meu blog ai você poderá apreciar os meus trabalhos abraços com o meu carinho
Às 19:10 em 25 outubro 2011, oiara soares de bittencourt disse...

Oi Eurico: Será para mim um prazer conhecer o teu trabalho. Em seguida irei ao teu blog por cujo endereço muito te agradeço.

Como a vida é uma troca, eis o meu que, por sinal, anda um pouco parado por absoluta falta de tempo.  Um grande abraço.

Vandash.blogspot.com

Em 4:04pm on outubro 25, 2011, MÁRCIA RODRIGUES PEDROSO deu para Eurico de Andrade um presente...
Presente
Muito Obrigado pelo convite de amizade é sempre muito bom ter pessoas inteligentes em nossa volta! Sucesso, e fique com o Poder de DEUS! Professora Márcia Pedroso
Às 10:55 em 25 outubro 2011, Cybele Meyer disse...

Obrigada Eurico pelo carinho e pela acolhida.

Em breve estarei alimentando minha página e ai te convido para navegar por ela, ok!

Tenha um ótimo dia!

abraços

Cybele Meyer

Às 10:40 em 25 outubro 2011, Eliana Neri da Silva Carvalho disse...

Obrigada pela amizade um grande beijo.

Eliana Neri

Às 21:47 em 10 outubro 2011, mara paulina arruda disse...
Oi Eurico de Andrade. Prazer em conhece-lo.Visite meu Blog achados e Perdidos. Um abraço. www.mp-arruda.zip.net
 
 
 

© 2019   Criado por Izabelle Valladares.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço