Esta é uma rede social de escritores,artistas plásticos  e músicos, para associar-se a Literarte - Associação Internacional de escritores e artistas, entrem no site www.grupoliterarte.com.br e conheça todas as vantagens em ser um associado!

 

 

RONALDO BALBACCH
  • Masculino
  • São Paulo
  • Brasil
Compartilhar
  • Mensagens de blog
  • Tópicos
  • Eventos
  • Grupos
  • Fotos
  • Álbuns de Fotos
  • Vídeos

Amigos de RONALDO BALBACCH

  • Ademir Pascale
  • amelia h
  • Daniele Negreiros
  • Aparecida Semini da Costa
  • Rita Pea
  • Shirley M. Cavalcante
  • Alessandro Borges
  • railda masson
  • IRIS MARIA SAMPAIO DE OLIVEIRA
  • Elabora Textos
 

Página de RONALDO BALBACCH

Presentes recebidos

Presente

RONALDO BALBACCH ainda não recebeu nenhum presente

Dar um presente para RONALDO BALBACCH

 

CARÍSSIMOS VISITANTES VOCÊS ESTÃO NA PAGINA DO ESCRITOR RONALDO BALBACCH! NESTE CANTINHO VOCÊ ENCONTRA A PERFEITA LINGUAGEM DO AMOR E DA PAZ.

BEM VINDOS

Eu espero que o meu cantinho seja aconchegante. Obrigado (a) pela visita e desejo boa leitura. Meu sincero e carinhoso abraço!
Em São Paulo, SP, 26 de dezembro de 2008.

Poeta Ronaldo Balbacch

 

AH...COMO EU TE AMO!

Eu amo...
A tua boca...
O tom da tua voz...
A tua pele nua e suave.

A nutrir-me de desejos profundos
Pela noite afora cada segundo...
O teu amor é o alimento de que necessito para viver
O pão que sustenta o vinho que embriaga.

O teu sorriso alimenta os dias meus
O calor das tuas mãos agasalha meu corpo
Teus passos compassados soam aos meus ouvidos
Como uma melodia que suavemente vem ao meu encontro.

Quero de esta beleza deliciar-me
E comer ao abrigo deste angelical corpo
Faminto, louco, sigo buscando o teu coração
Ardente e fogosa paixão qual calor das tuas mãos.

Que flutuam no corpo
Sem limites, sem maldade, puro tesão
O alimento que nutre os meus dias...
Fome que sacio nestas curvas deliciosas.

Ó vinho doce e puro
Que embriaga e aos delírios leva
Doce flor que dá brilho aos dias meus.
Morrer nos teus braços é renascer para vida!

Ronaldo Balbacch

São Paulo SP, 15 de novembro de 2010.

AO MEU AMOR MEUS DESEJOS

Os corpos queimam
De amor profundo...
Corro pelo campo fértil
Do seu amor.

Semeio no teu sulco...
Lagrimas de prazer profundo
Deslizo por curvas acentuadas
Que leva a encosta da montanha.

Longa escalada e perigosos deslizes
Cujo ápice desta aventura...
É o encontro dos corpos
Desnudos e sedentos.

Para beber água pura da fonte
Que verte da montanha encantada
A lua ainda não recebeu o cortejo das estrelas
E a minha rainha nua já me fez rei.

Coberto pelo manto do seu corpo
Sou corado com calorosos beijos
Navego na esteira deste mar
Revolto e espumante.

Penetro triunfante na sua ilha
Que me leva as loucuras do amor.
Planto teu corpo no meu corpo
E colho da minha rainha a doce fruta do amor.

Ronaldo Balbacch

São Paulo – SP, 20 de outubro de 2010.

VERSOS E SEDUÇÃO


Há uma fonte quente...
Que desejos brotam...
O amor nasce puramente
Dos olhos que encantam.

Há uma miragem...
No campo do amor...
Que leva a doce viagem...
No toque do jardim em flor.

Há sentimentos profundos
Desejos loucos e sem fim...
Sonhos e novos mundos...
Quando o amor se faz assim.

Há nos lábios a loucura...
E gosto da fruta proibida...
Carinhos e ternura...
Que deixa saudade bandida.

Há um jardim florido...
Que brota no teu sorriso...
Desejos vão fluindo...
Do corpo que leva ao paraíso.

Há um cavalo alado...
Que dá asa à poesia...
Como é doce esse pecado
Que o prazer do amor sacia.

Ronaldo Balbacch – SP, 12 de outubro de 2010.


 

POR TI MEU AMOR!

Nesta selva de pedra
Em que me encontro
Não pairam sob meus pés
A relva verdejante...

Os campos arvorados
As flores primaveris
Mergulho no universo da poesia
Viajo por jardins encantados...

Este cavalo alado que me leva
Os mundos mais profundos
Posso tocar a rosa amarela
E sentir o gosto da uva vermelha...

Vinda das profundezas da terra doce mel
Da cor e sabor dos teus lábios
Sedentos por um longo beijo
Atrevo-me ir mais além...

Assim como a rainha lua
Recebe encantado o cortejo
Das estrelas que dançam solenes
Eu cortejo a tua nobre beleza...

Faço a dança do amor
Flutuo no teu olhar perigoso
Como as vagas da beira mar
Secretamente escuto o teu sussurro...

E fascinado toco o teu intimo
Como tocar a rosa orvalhada
Que no entardecer escorre suave suor...
Ó meu amor o teu corpo umedecido me leva a loucura.

Ronaldo Balbacch

São Paulo – SP, 28 de setembro de 2010

 

AO MEU AMOR!

Na manhã de verão
Irá lembrar-se dos meus olhos
A te olhar profundamente...
Despindo suavemente o teu corpo.

Na manhã de verão
Irá lembrar-se do meu abraço forte,
Como o suave toque do mar,
Espalhando-se pelo teu corpo.

Na Manhã de verão
Irá lembra-se do meu beijo
A queimar como o calor do deserto
Ao transbordar desejos profundos.

Na manhã de verão
Irá lembrar-se dos nossos corpos
Unidos a transpor o suor
Como o orvalho que escorre da flor.

Na manhã de verão
Irá lembrar-se das doces palavras
De amor, carinho e paixão
Que envolviam nossas almas.

Na manhã de verão
Irá lembra-se do meu sorriso
Que encantava os teus belos olhos
Como a maestria do amor.

Na manhã de verão
Eu te conheci!
Provei da fruta mais doce
E nunca mais te esqueci! Irá lembrar-se...

Ronaldo Balbacch

São Paulo - SP, 01 de setembro de 2010.

DECLARAÇÃO DE AMOR

Mulher dos olhos de cristal
É a rainha do meu festival,
Quando desfilas, na praça
Sinto tremer minha raça
Num impulso colossal.

Teus olhos são lindos,
Como o azul do mar;
Tua fala vem alvinha,
Como a grinalda das ondas
Quebrando na beira mar.

Teu andar é verbena,
Passos firme, impulsionadores,
Gingando as cadeiras
Arrepiando os doutores
E os pastores caírem
Em pecados tentadores.

Onde passas o trânsito pára
E curva-se em contemplação,
O frenesi toma conta
De toda situação
Só tu podes fazer,
Esta beleza no chão.

Tu és o lírio do campo,
O cintilar dos pirilampos,
O orvalho das campina.
A candura de menina.

Doce como o favo da jati,
O mel que adoça a vida,
A salvação ambiental,
Todos que te avistam
Têm a sensação imortal.

Mas eu quero só pra mim,
Alma do meu ideal,
Não importa as tempestades,
Nem armas nucleares,
Eu estando a te amar
O mundo pode acabar.

Mulher te amo inteirinha
Como igual só o meu Deus.
Tu tens um profundo encanto
Que ferve o meu coração
Por isso posso até morrer
Mas nunca te perder.

Eu não quero as riquezas sem ti,
Quero morar em teus braços,
Como nos braços de Deus,
Amando-te de coração,
Para um dia ter belos filhos teus.

É a minha querida!
Flor que me dá a vida,
Amo-te além dos amores
Asa que me faz voar.
Alma da minha alma
Estrela do meu olhar.

Quero em teus braços dormir
É este o deliro meu,
Tu és a própria vida
Minha fé e esperança,
Em tudo que olho, vejo prazer
Mulher do meu bem querer.

Ronaldo Balbacch

São Paulo- SP, 12 de agosto de 2010.

UM BILHETE DE AMOR!

Eu queria te escrever um bilhete
Com letras brandas, doces e belas...
Que te convencessem do grande amor
Que sinto por ti.

Que tocassem no fundo do teu coração
Que te fizessem viajar...
Na mais profunda paixão...
Das caricias ao clímax do amor.

Que minhas palavras fossem
Tão mágicas e perfeitas...
Que pudessem te trazer para mim
Como se fosse o sopro divino.

Que minhas palavras te embalassem
Na mais suave valsa de amor...
Que nossos corpos unidos fossem
Para viver todo o prazer da vida.

Que minhas palavras fossem tão fortes
Capazes de arrancar os teus medos...
E plantassem uma rosa no teu coração
Livre de maldade e na mais pura sedução.

Que minhas palavras navegassem
Por este mar cristalino...
Que me fizessem o teu menino...
Para no teu colo adormecer e sonhar.

Que minhas palavras te convencessem
Que te busco como a abelha ao mel
O cão ao dono...
Eu te busco porque te amo!

Ronaldo Balbacch

São Paulo – SP, 19 de julho de 2010

 

EU TE AMO!

Como amo a vida...
O lindo entardecer...
O sol que vai de partida...
Noutro dia a terra aquecer.

Como a noite estrelada...
O lindo e solitário luar...
A floresta encantada...
O brilho do teu olhar.

Como um doce sonho...
Uma canção de ninar...
O amanhecer risonho...
Aroma de flores no ar...

Como o belo encontro...
Abraços aconchegantes...
Faz do amor o parâmetro...
Do tesão dos eternos amantes...

Como a bela praia...
Formada de grãos dourados...
Linda como as pernas na saia...
Que traz desejos encantados...

Como um belo sorriso...
Que traz alegria e felicidade...
Caminho que leva ao paraíso...
Da minha vida o amor da eternidade.

Ronaldo Balbacch

São Paulo – SP, 14 de julho de 2010

 

 

DO AMOR A SAUDADE!

Havia um canto puro e doce
Naquelas noites sublimes...
Desejos que o amor lindo fosse
Dos olhos o brilho e ciúmes.

No corpo o forte calor
Viagem dos pensamentos
Clímax do perfeito amor
Cravado em belos momentos.

Vida que expulsava a morte
No seio do amor eterno
Abraço doce e forte...
Gozos que levavam ao amor fraterno.

Sonhos dos sonhos, a intensidade,
Dos carinhos gemidos verteram
Hoje a dor, solidão e a saudade...
Aos dias se emparelham.

As lembranças são chaga
Enorme e profunda...
Cruel punhal que o coração rasga...
Ó profundo poço de amargura.

Triste por não ter o passado...
E por não ter como viver no presente
Da vida apenas o coração apertado
Pela saudade do amor ausente...

RONALDO BALBACCH

São Paulo – SP, 9 de julho de 2010.

AMO-TE MEU AMOR!

Há um novo momento
Que transforma a vida
Invade o pensamento
Sabor e delicia brinda.

Há um perfume de rosas...
Frenética vontade de viver...
No teu olhar há delicias formosas...
Que faz a beleza do rubro entardecer.

Há um canto angelical...
Flores dançam ao vento...
Vontade de viver este amor total...
Há sonhos, desejos e acalentos...

Há pureza do teu olhar...
Traduz beleza e fantasia...
Teu anseio é pura vontade de amar...
Dois corpos que calor intenso irradia.

Há neste dia intensa alegria...
Do mais belo encontro de amor...
Brisa mansa, feliz, harmonia...
Dos belos seios o sublime sabor.

Há no teu olhar amor profundo...
No toque do teu corpo, suavemente
Flutuar na tua flor, que saciado inundo,
Ó cálice que dá prazer louco e ardente...

Ronaldo Balbacch

São Paulo – SP, 22 de maio de 2010.

AO MEU AMOR!

(DECLARAÇÃO DE AMOR)

Suave como a luz do luar
São os teus belos olhos
Profundo encanto a me olhar
Viajo num mundo de sonhos.

Suave como uma tarde de verão
É a tua pele quente e delicada
Ao toque sinto o mais puro tesão,
Arrepios ao te abraçar. Ó amada.

Suave como a brisa de uma noite de luar
É o encanto dos teus lábios sensuais
Que em cada beijo me faz apaixonar
Dia após dia cada vez mais e muito mais.

Suave como um dia de primavera
É o toque de a tua mão acariciar
Eleva ao clímax do amor que prospera
Para profundamente meus desejos saciar.

Suave como um lindo pomar
Que dá doces e belos frutos...
Colho a fruta proibida ao te amar
Seiva do amor que contagia a todos.

Suave como o toque do sino...
Teu amor se traduz em beleza e paz
Faz de mim o teu doce menino...
Que ao te tocar se faz um grande rapaz.

Suave como os pingos da chuva
Ao entardecer na cama nua...
O prazer esta ao provar tão doce uva
Enquanto a água da chuva escorre pela rua.

Ronaldo Balbacch

São Paulo – SP, 19 de maio de 2010


ESCRAVOS DO MUNDO SOCIAL

A vida arrasta o homem
Pelos labirintos do desespero
A doença que consome a carne
Os tormentos que consomem o espírito.

A crença é uma lenda de outrora
Este tempo não mais existe...
Agora a grande corrida pelo ouro
Consome os belos dias de romance.

Todos trilham este caminho
Buscam arranjar um belo ninho
O conforto que o ego consome...
Amizades, escassas, nos anos se perdem.

Nesta luta cujo final já sabemos!
Nada duradoura, simples miragem,
Viajem a horizontes duvidosos...
Consolo dos dias que se vão, em vão.

Amarga na tristeza em busca da alegria.
A felicidade tão almejada é parca!
Nos trilhos, na linha, não há horizonte,
O sol, que nutre a vida, é frio.

As estrelas que brindavam a noite...
Hoje são simples, astros com nomes definidos,
O amor, que outrora, ardia à luz do luar,
É apenas o desafio pelo sexo ardente.

Homem e mulher numa conjunção,
Carnal, humanos ou animais, o que dizer.
Das feras, que atacam por defesa.
Enquanto homens matam por prazer.

O cachorro que lambe rosto do dono
É puro e sincero, porque é fiel.
O cão segue o dono noite e dia...
O homem persegue seu tesouro dia e noite.

Sem escrúpulos busca o poder!
Arma armadilhas, tramas, e o que for possível,
Para obter o que lhe é proibido.
Despido do caráter e da honra, segue enfrente.

Escraviza seus prepostos...
Tornasse o dono do meio social...
Risca os corpos com longo chicote...
Tal qual o Senhorio dono dos escravos de outrora.

Ronaldo Balbacch
São Paulo – SP, 19 de maio de 2010.

A TARDE CHORA!

A tarde chora...
Ao ver, dura lama,
Onde havia um belo lago,
Peixes coloridos, ali, nadavam.

A tarde chora...
Ao ver o deserto, árido,
Onde havia bela floresta,
Pássaros, em harmonia, cantavam.

A tarde chora...
Ao ver tombar, arvore,
Centenária, que é arrastada,
Destroçada, aos pedaços.

A tarde chora...
Ao ver a neblina, da queimada,
Relva transformada, em turva fumaça,
Animais que fogem desesperados, desabrigados.

A tarde chora...
E implora pela escassa chuva
Outrora, água em fartura,
Hoje a vida, transformada, em simples pó.

A tarde chora...
A falta do rio, a nascente,
Que vertia da montanha,
Água gelada, doce, que saciava a sede.

A tarde chora...
Ao ver o céu negro, turvo,
Tímidos raios de sol se escondem,
Por trás das nuvens, poluídas, das grandes cidades.

A tarde chora...
A falta da vida, que existia em abundância,
Nos rios, campos, florestas e cidades,
Chora o planeta terra o socorro que chega tarde!

Ronaldo Balbacch

São Paulo – SP, 18 de maio de 2010.

SONHOS E DESEJOS DE AMOR!

Ò mulher deusa dos meus sonhos
Viajo no teu corpo noite e dia...
Sonho feliz e risonho...
Sinto que meu corpo desejos irradia.

Vejo-te na luz do luar...
Entre a mais bela das estrelas
Fico louco para te amar...
Faço amor em sonho a luz de velas.

Embriago-me do teu puro vinho...
E flutuo leve e solto neste universo...
Quero-te no meu aconchegante ninho...
Fazer as delicia do amor puro e intenso...

Viagem infinita e sensual...
Brisa da noite que encanta...
Quero provar deste amor total...
Ó doce corpo que ao meu corpo acalenta...

Mar em alvoroço... ó naufrágio...
Perfeito quando mergulho nos teus seios,
Vivo o tesão, belo momento, doce refugio,
As marés do meu sonho não têm freios.

Ó amor que é o meu aconchego...
Amo-te com todo o meu amor...
Porque teu amor, aos sonhos me entrega,
Paixão proibida, desejos ocultos, bela flor.

Que Deus permita, um dia,
Ser o homem escolhido e merecedor
Do teu amor, da tua alegria e das tuas fantasias,
Relíquias almejadas por mero homem sonhador...

Ronaldo Balbacch

São Paulo – SP, 10 de maio de 2010.


FELIZ DIA DAS MÃES

VIVENDO COM OS ANOS

Tem em mente, que a pele se enrruga, que o cabelo se torna branco, que os dias se transformam em anos, mas algo muito importante nunca munda!

A força interior e a perseverança não tem idade.
É o teu espírito que conduz a tua existência
A cada linha de chegada, há uma nova partida.
A cada trunfo, nasce um novo desafio.
Não viva apenas por viver, mas sinta-se plenamente viva.
Se os velhos dias trazem saudade, torna a vivê-los de forma igual.
Viva como fostes nas antigas fotografias desbotadas.
Ame as belas lembranças, não abandones a si mesma.
Não deixes que morra a criança que há dentro de você.
Nunca sinta pena de si mesmo. Faça algo simples, porem importante, para que todos te respeitem.
Se os anos não te permitem correr. Caminha lentamente, mas nunca pare de andar.
Siga de cabeça erguida, apesar dos anos, caminha.
Ame a vida, as flores, o luar, o sol, o mundo.
Grite bem alto! Eu estou viva!
Eu amo a vida!

FELIZ DIA DAS MÃES!

RONALDO BALBACCH

São Paulo, 08 de abril de 2010.

DO AMOR AS FLORES!

Não quero me sentir como as flores
Jogadas ao vento...
Não quero lembrar os amores
Porque trazem sofrimentos.

Quero amar ao sabor do mar
Navegar na pele nua...
No corpo naufragar
Imerso no desejo que insinua.

Leve e solto tal qual uma ave
Que flutua pelo ar.
À noite o amor se faz suave
Na cintilante luz do luar.

Lembranças da bela flor a formosura!
Tortura para o corpo e o coração.
Porque brotam desejos sem censura,
E do belo corpo prazer e sedução.

Extasiado vivo a contemplar
A foto de tão belo monumento
Porém distante... vive... a vagar...
A relíquia que deixou dor e sentimento.

Não quero me sentir como as flores
Jogadas ao vento...
Não quero lembrar os amores
Porque trazem sofrimentos.

Ronaldo Balbacch

São Paulo, SP, Brasil, 02 de abril de 2009

DESCUBRA-ME AMOR

Sentimento que invade a alma
Escrevo a luz do silêncio...
Transporto o amor em sua magnitude
Desejos transformados em doces palavras.

Do olhar nascem os poemas
Que componho com ardor
A paixão é a minha inspiração
Que tece versos tão doces quanto o mel.

Há um doce segredo no coração
O de ser homem de alma pura
Que traz o balsamo a vida
No culto da flor a formosura.

O meu viajar não tem asas...
A alma me leva a lugares infinitos
Sou ave que não tem asas ou penas
A poesia e a beleza reinam no meu mundo.

Guardo o mundo da lira
Refugio do poeta integro
Flutuo entre jardins e fadas
Através do puro sentimento.

Todos podem sentir
O meu vôo agradável e suave
No fluir do meu pensamento...
Sou homem cuja alma é o próprio amor...

Ronaldo Balbacch

São Paulo – SP, 06 de dezembro de 2009

POEMA DE AMOR

(Uma triste despedida)

Ó como me entristece ver-te assim
Fitando este pomo em abandono,
A procurar em vão, neste jardim,
Uma flor que te alegre neste outono...

Em busca desta flor, certa vez, vim,
Após dias sem sol, noites sem sono,
Ciente de que ela também esperava por mim
Como abelhas ao mel, o cão ao dono,

E sei que a procurei, em vão,
Sem encontrá-la... e como tu, agora,
Só vi as folhas mortas jogadas ao chão...

A flor, que nunca esteve a minha espera,
Passou o inverno, verão, outono afora,
Por que matamos nosso amor na ultima primavera?

Ronaldo Balbacch

São Paulo- SP, 30 de novembro de 2009.
(Séries sonetos)

O AMOR

Ó como são doces os teus beijos.
E as mãos puras que acariciam,
Acalentam doces desejos...
Belas curvas, aos corpos deliciam.

Fonte de insaciáveis desejos
Amo-te, prazeres, que maliciam...
Sugo dos lábios os beijos...
Se a noite é fria. Belos seios a esquentam...

Ó mulher quente igual a ninguém.
O amor vive por onde caminha...
Quero tua alma, teu corpo e mais além...

Sonho de amor, ternura e realidade.
Ó Princesa bela que acarinha,
Meu ego de desejos, amor e felicidade...

Ronaldo Balbacch

São Paulo – SP, 02 de julho de 2009.
(Séries sonetos)

Poema de amor

En tu mirada siento la ternura.
cerca de tu corazón el encanto.
de alguien que vive en el mundo sin amargura
porque recoge llevar el amor, bálsamo santo.

Camino sobre la carretera ardua y dura,
nsiento cansancio y ni desencanto.
tu mirada es un beso de ternura...

Por donde ando recojo el amor y el bién.
por tu amor vivo, feliz, vida mía...
te adoro y te amo como a nadie.

Tu amor es sueño y realidad.
es el más puro fruto de la viña:
ah!... dulces son los antojos... de un amor de verdad

Ronaldo Balbacch

São Paulo - SP, Brazil, 20 de junho de 2009

español por N€nf@

POEMA DE AMOR!

No teu olhar sinto a ternura.
Perto do teu coração o encanto.
De alguém que vive no mundo sem amargura
Porque busca levar o amor, bálsamo santo.

Caminho sobre a estrada íngreme e dura,
Não sinto cansaço e nem desencanto.
Teu olhar é um beijo de ternura...

Por onde ando busco o amor e o bem.
Por teu amor vivo, feliz, vida minha...
Adoro-te e te amo como a ninguém.

Teu amor é sonho e realidade.
É o mais puro fruto da vinha:
Ah!... doces são os desejos... de um amor de verdade.

Ronaldo Balbacch

São Paulo – SP, 19 de junho de 2009.
(série sonetos)

UM AMOR DE OUTRORA

Nos tempos de outrora, tive sonhos,
Que lembro com grande esplendor.
Pois, percorria campos risonhos,
De mãos dadas com meu amor.

Colhia belas flores silvestres
E lhe ofertava com louvor
Do amor, era um dos mestres
Da alegria, felicidade e calor.

Borboletas, voavam, encantavam
Com suas belas cores diversas,
Num voar silencioso, pairavam,
Nas folhas que ao vento eram perversas.

Pássaros surgiam, e entoavam
Na natureza, os mais belos cânticos,
Que esparziam, no céu azulado, flutuavam,
Tornavam perfeito o nosso encontro romântico.

Havia rosas belas e cheirosas
De pétalas delicadas, e aveludadas,
O perfume se espalhava entre rosas,
Minha bela beijava a flor orvalhada.

Na beira do lago azulado, lindo,
Ali, sentávamos encantados,
Olhando as águas sorrindo,
Com alegres peixes avermelhados.

Arvores aconchegantes e frondosas
Encobriam os belos raios de sol
E uma suave brisa, deliciosa,
Ventilava a grama, nosso lençol.

Corpos a rolar, sob a esteira,
Verdejante, daquele dia de alegria,
Sorrisos, amor, brincadeira,
Debaixo da gigante paineira.

Nos tempos de outrora, tive sonhos
Que lembro com grande esplendor.
Pois, percorria campos risonhos,
De mãos dadas com meu amor.

Ronald Balbacch

São Paulo, 18 de junho de 2009.

A MI AMOR
(Declaracion de Amor)

Tu amor es el abrigo.
El fin de la eterna espera.
El cariño y sonrisa amiga.
El calor que solo placer nos genera.

Tu amor trae paz, la flor de trigo
vigor a la vida, en lo que todo prospera.
Hace germinar la simiente contigo.
Tierra fértil, flor de primavera.

Con cariño y celo, dos corazones
han de sembrar el amor tierra afuera
y vivir a cada segundo nuevas emociones.

Transformar candentes las noches frías.
Bellas palabras has de oír ahora.
Tan sólo palabras de amor y alegrias

Ronaldo Balbacch

São Paulo – Brazil, 17/06/2009.

Versión traducida

Rosemarie Parra


AO MEU AMOR
(Declaração de amor)

O teu amor é o abrigo.
O fim da eterna espera...
O carinho e o sorriso amigo
O calor que só prazer gera.

O teu amor traz a paz, a flor do trigo
Vigor a vida, em que tudo prospera,
Faz a semente germinar contigo
Terra fértil, flor da primavera.

Com carinho e zelo, dois corações
Hão de semear o amor terra afora
E viver a cada segundo novas emoções.

Transformar em quentes as noites frias...
Belas palavras hás de ouvir agora
Tão somente palavras de amor e alegrias.

Ronaldo Balbacch

São Paulo – SP, 16 de junho de 2009.

RÉPLICA A UM POEMA DE AMOR!

O meu corpo livra-te dos medos!
Com gestos de carinhos afasto a tua solidão
Tomo o teu amor com tesão, e sem segredos.
Não beijo por beijar. Beijo por amor!

Dou-te a força que impera no meu ser
Da alma pura, ao amor escaldante,
No calor da tua cama quero viver
As glórias do perfeito amante.

Quero beijar a tua pele nua
Banhar-me no teu rio de prazer
Ir às profundezas do amor que insinua
Naufragar nas tuas águas, sem me conter.

Pequena é a noite ante tanto amor
Delírios, desejos, sonhos incontidos.
No ato de fazer o amor, sem pudor.
Vou ao encontro dos horizontes perdidos.

Entre a tua boca e a minha, o doce prazer,
Dos teus lábios as caricias...
Que fazem o homem enlouquecer
No toque suave das tuas delicias.

O meu corpo livra-te dos medos!
Com gestos de carinhos afasto a tua solidão
Tomo o teu amor com tesão, e sem segredos.
Não beijo por beijar. Beijo por amor!

Ronaldo Balbacch

São Paulo – SP, 14 de junho de 2009

AH!...QUE AMOR!

Madalena, empresária, suntuosa,
Estava, com a razão, muito irritada,
Porque surpreendera, que horror! a empregada
A beijar o gerente Salvador. E muito furiosa,

Gritou incontida, aterrorizada:
-Mulher sem pudor, indecorosa!
Tenha vergonha, sua escandalosa!
E sem mais despediu a funcionária, indignada.

À noite, já em sua casa, e de tudo ela esquecida,
O marido, empresário, estava ausente...
Ouve bater na porta da frente.

Corre atender. Não era o empresário vida mansa...
-“Oh! É você, querido Salvador?
Pode entrar sem receio, meu amor...

(Santa mulher! Ah!...o amor é lindo)

Ronaldo Balbacch

São Paulo- SP, 13 de junho de 2009.
(séries sonetos)

UM CANTO AL AMOR

Mundo de mil maravillas
En el fuerte tronco del amor,
Ama y sueña, piérdete,
En el más puro delirio de amor.

O mujer que trae amor y fantasías.
Para mi vida arremeter.
Soy la alegría de los días
Pasajeros del amanecer.

Traigo el canto en el pecho,
Que me importa quiero vivir
Acunando antojos en el lecho,,
En el cielo, en el mar, en la lluvia, en el amanecer

.En el correr el tiempo pasa
Tengo prisa por vivir el amor total,
Me antojo de la mujer que contemplo,
Cantando este amor carnal.

El trabajo la vida sostiene
Es el trinar del día-a-día,
Que la vida nos contenta
Cantando con alegría.

Tienes el encanto y el trato
De la belleza en flor,
Perfumas de hecho
Mi cuerpo con tu amor.

Tus provocaciones
Atormentan mi ser
Traen antojos e ilusiones,
En la búsqueda de tu querer.

Tengo este sueño colorido
Que yo espero un día realizar,
Llevándote para el trono
Además, tierra, estrella y mar.

Es de alegría mi canto
Es de alegría mi ser,
Tu cuerpo es todo encanto,
Quiero amarte y de amor vivir

Muchas gracias es un bello poema

RONALDO BALBACCH –SÃO PAULO - BRAZIL

(POEMA TRADUZIDO EM ESPANHOL PELA AMIGA Nancy Beatriz Fuentes)



AO MEU AMOR

Que teu amor seja o abrigo.
O fim da eterna espera...
O carinho e o sorriso amigo
O calor que só prazer gera.

O teu amor traz a paz, a flor do trigo
Vigor a vida, em que tudo prospera,
Faz a semente germinar contigo
Terra fértil, flor da primavera.

Com carinho e zelo, dois corações
Hão de semear o amor terra afora
E viver a cada segundo novas emoções.

Transformar em quentes as noites frias...
Belas palavras hás de ouvir agora
Tão somente palavras de amor e alegrias.

Ronaldo Balbacch

São Paulo – SP, 11 de junho de 2009.

(séries sonetos)

UM CANTO DE AMOR

Mundo de mil maravilhas
No forte tronco do amor,
Ama , sonha perdida,
No mais puro delírio de amor.

Ó mulher que traz amor e fantasias.
Para a minha vida arrefecer.
Sou a alegria dos dias
Passageiros do amanhecer.

Trago o canto no peito,
Que me importa quero viver
Acalentando desejos no leito,,
No céu, no mar, na chuva, no amanhecer.

Na correria passa o tempo,
Tenho pressa de viver o amor total,
Que desejo da mulher que contemplo,
Cantando este amor carnal.

O trabalho a vida sustenta
É o trinar do dia-a-dia,
Que a vida nos contenta
Cantando com alegria.

Tens o encanto e o trato
Da beleza em flor,
Perfumas de fato
O meu corpo com teu amor.

Tuas provocações
Atormentam meu ser
Trazem desejos e ilusões,
Na busca de teu querer.

Tenho este sonho colorido
Que eu espero um dia realizar,
Te levando para o trono
Além, terra, estrela e mar.

É de alegria meu canto
É de alegria meu ser,
Teu corpo é todo encanto,
Quero te amar e de amor viver.

Ronaldo Balbacch

São Paulo - SP, 30 maio de 2009.
(série poesia amor)


UM ENCONTRO...

AH!...como eu queria!
Dar-te um abraço bem apertado
Tocar os teus lábios com alegria
Realizar o sonho tão esperado!

Ah!...como eu queria!
Naufragar nos teus belos seios para viver o prazer,
Amar-te e sentir o sabor deste amor que extasia
No vai e vem do amor. Ah...eu queria viver.

Ah!...como eu queria!
Viver este encontro tão esperado
Tão cheio de vida e harmonia...
Sonhos e pecados do homem apaixonado.

Ah!...como eu queria!
O teu belo sorriso
No rosto posto, a eterna alegria,
De viver belos momentos no teu paraíso.

Ah!...como eu queria!
Te amar... Te amar...Te amar...
Viver momentos de realidade e fantasia
E no teu belo corpo fazer o amor bailar.

Ah!...como eu queria!
Tudo... tudo... por você... meu amor...
Será que tudo isso é fantasia ou ironia?
Ó mulher que vive no meu sonho encantador.

AH!...como eu queria!
Dar-te um abraço bem apertado
Tocar os teus lábios com alegria
Realizar o sonho tão esperado!

Ronaldo Balbacch

São Paulo – SP, 17 de maio de 2009.


SORRIA PALHAÇO!

Sorria palhaço!
Tua dor é em vão...
Solto no espaço
Vive a total solidão...

Mascara colorida
Desenho do sorriso largo
Esconde na face à vida,
A dor e o sabor amargo.

A todos encanta
Pela alegria...
Que na vida planta
Ó mundo de fantasia.

Sorria palhaço!
Olha para o palco
Esqueça o cansaço
Viva o momento parco.

Transforme tudo em emoção
A vida é assim mesmo...
Todos têm momentos de solidão
Sorria palhaço!... leve a vida o seu termo.

Sorria palhaço!
Tua dor é em vão...
Solto no espaço
Vive a total solidão...

Ronaldo Balbacch

São Paulo – SP, 17 de maio de 2009.

AMO-TE Ó... MULHER!

(Declaração de amor)

Amo-te ó mulher, tão meiga e falaz...
Ora mar em alvoroço, ora calmo lago,
Pleno de amor e paz!
Amo-te! Olhas para o meu verso de gratidão,
Com carícias de amor, através do meu coração!

Ó terra fértil, quente e boa...
Amo o teu olhar que acolhe a vida,
Ave que suavemente voa...
Pelo espaço do céu imenso, mas infinito!
Ó mulher, minha flor colorida...
Meus sonhos contigo não são finitos...

Dá ao teu amor sempre ávido o teu ouro,
Tudo o que possuis, ó mulher, de precioso e caro,
É teu nobre tesouro...
Mas feliz tu quando assim se deleita
Porque conheces, eu sei que o amor é teu amparo...
Tua alegria, paz, perfeita...

Dou-me aos teus amáveis sonhos...
As tuas belas ilusões, de amor e de ventura...
Dos amáveis instantes risonhos...
O doce fruto que ofereces nem a todos alcanças...
Somente o amante te convence... e em ti perdura,
Sequer gostas de promessas, nem quer esperanças...

Há desejos que compõem sinfonias...
Torna plena a inspiração do poeta sorrindo,
Que em tudo te admiras...
De este o sorrir, ao teu desabrochar em flor,
É sempre encanto, ó mulher, se abrindo...
Sempre iluminada pelo amor...

Com sensualidade guardas a tua nudez...
A musa que era o encanto do poeta outrora,
Brilhas com perfeita lucidez...
Brotam no rosto, desejos e sorriso...
A mão que acaricia é a mesma que te apavora...
Ó mulher como estas distante, ainda do meu paraíso!

Mas amo-te... porque tua imagem faz-me viajar,
Mulher deliciosa, tu vives para aquecer, qual o sol,
Dás amor para sempre amar...,
Nutri-me da seiva e me dá acalento!
Dão vida a minha vida, sonhos no lençol,
Alimentas meu parco sentimento...

À noite, meu amor por ti clama com humildade...
Pensando em ti, assim, passo os dias no tormento,
Em busca do teu precioso sol...
Perdoa ó mulher tanta saudade...
Porque tenho sonho com tão belo momento!
Pequena é a vida ante a este amor cheio de imortalidade...

Amo-te ó mulher, tão meiga e falaz...
Ora mar em alvoroço, ora calmo lago,
Pleno de amor e paz!
Amo-te! Olha o meu verso de gratidão,
Com carícias de amor, através do meu coração!

Ronaldo Balbacch

São Paulo-SP, 26 de abril de 2009

(Séries poesias "Declaração de amor")

AO MEU AMOR!

Quero o teu olhar
Teu belo sorriso
Teus lábios beijar
Porque levam ao paraíso.

Quero tocar tua beleza
Sentir o teu calor
No teu ar de princesa
Bela deusa do amor...

Quero a paixão
Mais avassaladora
Que suporte o coração
Porque teu amor implora.

Ó encanto do dias meus,
Mulher dos sonhos dourados,
Há prazer e desejos nos seios teus
Fada que faz os dias encantados.

Quero percorrer tuas curvas, belas
Viajar no teu corpo sedutor
Para chegar às estrelas...
Na hora que contigo fizer amor.

No mais sublime ato de amar
Quero, prazer, gozos, o tesão,
Para o meu amor te entregar
Do mais intimo do meu coração.

Ronaldo Balbacch

São Paulo, SP, 25 de abril de 2009.

UM AMOR DE OUTONO

Amo a loura manhã de outono
As folhas que se espalham pelo chão
Porque transforma em ouro o belo pomo
Sinto a brisa suave que embala o coração.

Amo o belo outono ao entardecer
Novos ares que sopram no espaço
Para a vida arrefecer...
Porque alivia a dor e o cansaço.

Amo o outono com a noite estrelada
Há um ar de mistério entre o céu e a terra
Esta transformação encantada
Porque harmonia encerra...

Ah!... como é bela a transformação
De folhas verdes para amarelas
Que docemente caem na minha mão
Ó que maravilha de folhas belas...

Ah!...como eu queria
Viver um belo amor ao sabor do outono
Este amor soaria como uma poesia!
Alegrando a minha vida e embalando meu sono.

Ronaldo Balbacch
São Paulo-SP, 23 de abril de 2009.

A PÁSCOA

Há uma coroa de espinhos
Há lagrimas que se misturam ao sangue
Há uma dor profunda
Há chagas que sangram...
Há um céu escuro, só para castigar.
Há trevas e sofrimento neste dia...
Há um ser pregado na cruz!
Há o cheiro da morte no ar.
Há uma ressurreição
Há uma nova vida
Há um ser que brilha no alto!
Há a vitória sobre a morte
Há a vitória sobre a dor
Há um céu azulado, lindo.
Há um céu estrelado
Há o recomeço da vida
Há novas esperanças
Há um novo mundo para se construir
Há uma nova vida que conspira pela paz e o amor!

Ronaldo Balbacch

São Paulo, 12 de abril de 2009.
(séries mensagens de Páscoa)

<“
AMIGA(O)

Que a Páscoa seja a renovação
de suas vidas para sempre
acreditar que o amor
é a força maior”.

Feliz Páscoa amigos(as)
Muita luz, paz e amor!

Sinceros votos do amigo

Ronaldo Balbacch.
São Paulo, 12 de abril de 2009
(séries mensagens amizade)

DECLARAÇÃO DE AMOR!

Amo-te, ó minha querida, e quero desfrutar-te
Deliciosamente, a eterna formosura,
Em alegre verso, que te encante,
Como quem é consciente do que quer...

Á tua beleza a me dispor, com ardor
Desejo-te à pele suave e nua,
E em mil versos hei de cantar-te com amor
Na vida a glória de abraçar-te a cintura...

E de mãos dadas, ante ao por do sol, lindo,
Quero amar-te feliz, sorrindo,
Como os que vivem sonhos de amor...

Depois... tu mesma, em gestos encantadores,
Na porta aberta por ti, belas flores,
Hás de pregar no teu corpo quais pérolas de gozos e calor.

Ronaldo Balbacch
(SÉRIES SONETOS)

São Paulo, SP, 29 de março de 2009.


EU TE AMO!!

Hoje eu posso falar:
O celeste manto
Declina luzes no mar
E o luar é um encanto.

Hoje eu posso dançar
Suavemente a valsa do amor
Qual pássaro a flutuar
No céu com esplendor.

Hoje eu posso andar
Pela esteira verdejante
Ofertar-te flores e te amar
Como um perfeito amante.

Hoje eu posso entoar
O amor em belo cântico
Dormir e feliz sonhar
Com belo encontro romântico.

Hoje eu posso compor
Com arrojo, um belo verso,
Quero o amor transpor,
No toque dos teus seios o prazer intenso.


Hoje eu posso viver a alegria
Do amor intenso e fecundo,
Sonhos, desejos e fantasia,
No chafariz o tesão do mundo.

Hoje eu posso dizer;
Eu te amo... eu te amo... meu amor!
Porque desejo-te, e contigo quero viver,
O tesão e o mais belo ato de amor.

Ronaldo Balbacch

São Paulo, SP, 26 de março de 2009

Ó MULHER...E O AMOR?

O manto celeste
Declina a beleza
Das flores em pranto
Parca vida em tristeza.

Na esteira verdejante
Estarrecem mortais
O suspiro ofegante
Que leva a beira do cais.

A maré não tem ondas altas
O sabor do cálice é fel
Da vida que maltratas
No pomo é fúnebre vergel.

No fluir do amor
Estilhaçado sentimento
Quais pétalas em flor
Espalhadas ao vento.

A pálida luz
Não possui o sumo
Que a todos seduz
É apenas a neblina sem rumo.

A conspiração pela vida
É agora é uma necessidade
Retardam a despedida
Resguardam a mocidade.

Evidencia-se a penúria
A pantera aguarda- te ansiosa
Despes a luxuria
Rasgas as vertes orgulhosa.

Ronaldo Balbacch

São Paulo, SP, 26 de março de 2009.

AMOR E DESEJOS PROFUNDOS

Amo-te com carinho!
Beijo-te com amor!
Bela estrela do meu caminho
Mulher de olhar embriagador.

Ó bela flor do meu jardim
Beijo teu corpo perfumado
Viajo neste amor sem fim
Para sentir o gosto do pecado.

Deusa dos meus sonhos profundos
Equilíbrio da minha vida
Por ti luto e ganho mundos...
Contigo quero viver sem despedida.

O meu amor por você profano
No dia, na noite, sob a luz do luar
Desejo-te no calor da minha cama
Para no teu corpo flutuar e amar.

Ó imenso oceano de desejos
Poço do mais puro amor...
Sinto delírios nos teus beijos
Quero tocar-te com louvor.

Amo teu sorriso!
Amo tuas belas curvas!
Que me levam ao paraíso.
Ó doce mar de águas turvas.

Ó mel que adoça a vida...
Quero beber deste doce sabor
No balanço das tuas coxas. Ah!... minha querida!
Quero na tua intimidade gozar do mais sublime amor.

Ronaldo Babalcch

São Paulo, SP 10 de fevereiro de 2009.


AH!... O AMOR !

Eu queria neste belo dia
Viver a loucura do teu amor
Mulher doce e bela
Que embala sonho encantador.

Eu queria neste belo dia
Ter-te em meus braços
Abraçá-la com alegria...
No tocar dos teus lindos traços.

Eu queria neste belo dia
Tua boca cor de carmim
Beijar-te com harmonia...
Deixar fluir este prazer sem fim.

Eu queria neste belo dia
Teu corpo, tua vida, tua alma
Tocar teus seios que amor irradia
Na noite que teu amor me acalma.

Eu queria neste belo dia
O aconchego da tua cama...
Ah!...fazer o amor contigo... eu queria...
Ter momentos, que só vive, quem ama.

Eu queria neste dia
Tocar teus encantos
Tuas curvas, tua pele, que erradia
Luz, amor, paz entre tantos.

Desejos que me apego
Por ser meiga e sensual,
Bela flor do meu ego ...
O meu amor te entrego!... mulher fenomenal.

Ronaldo Balbacch

São Paulo, SP, 21 de janeiro de 2009.

DECLARAÇÃO DE AMOR!

Quero viver para brindar a vida
Este fantástico facho de luz
No doce beijo da mulher linda
De belo corpo que me seduz.

Viajo neste oceano de beleza
No qual flutuam os meus desejos
Provo do teu mel linda princesa
Sinto arrepios nas delicias dos teus beijos.

Este corpo quente e sensual!
Prende-me suavemente
Amo este amor carnal...
Feliz!...leve pairo solto e demente...

Ó delírios dos meus sonhos
Prazer, alegria e calor...
Que sinto nestes dias risonhos
Ao beber gota a gota do teu amor.

Ó indescritível sensação!
Não sei se vôo ou se flutuo
Neste delírio de paixão...
Apenas sei; amo este momento mutuo.

No calor das tuas belas curvas
Sinto-me perdido de amor
Ó mulher!..a mais bela das uvas
Amo-te!.. porque acalentas os meus desejos sem pudor.

Ronald o Balbacch

São Paulo, SP, 13 de janeiro de 2009.


SONETO PARA A MULHER

Oh!... mulher teu corpo é encanto,
Que faz da vida a luz do universo,
A profunda inspiração do canto.
Porque Iluminas verso sobre verso,

Ei-lá , do amor a flor do recanto!
Amor leal, que nunca te renego,
E faço do teu ser meu canto!
Porque um imenso amor te entrego.

Assim, o poeta a mulher fala,
Quando ele estremece, ao conquistá-la,
Transcende emoção, sorrindo.

Sensações e mistérios vão desvendando
Carinhos que se vão multiplicando,
A portas de pérola que se vão abrindo!

Ronaldo Balbacch

São Paulo, SP, 26 de dezembro de 2008.


JÓIA RARA

Mulher flor de perfume intenso
Teus olhos tem o brilho do cristal,
Teu sorriso é prazer imenso,
Tu és a alegria do meu festival.

Tesouro há sete chaves guardado,
A mais pura pérola consagrada,
Reluz, sonhos, desejo e pecado
Jóia rara que me deixa apaixonado.

Jóia rara, pura e tão cobiçada,
Linda, amada e quão desejada,
Por este homem puramente idolatrada!

Jóia assim, é luz na minha estrada,
Te desejo mulher encantada,
Relíquia, almejada, e por mim tão amada.

Ronaldo Balbacch

São Paulo, SP, 26 de dezembro de 2008.


OUTONO

Observo as folhas amarelas
Que se espalham pelo chão.
Tapete dourado de folhas belas
Que docemente caem na minha mão.

Marrons são os tons dos troncos.
As folhas têm cor de ouro.
Que ao vento caem aos poucos,
Fazendo da relva um belo tesouro.

É a natureza mudando de cor
Do verde ao amarelo sublime.
Sinto no ar o cheiro do amor,
Nas folhas um delicioso perfume.

Da linda e loura manhã...
Deste belo dia de outono.
De tão suave brisa louçã,
Que acalenta o lindo pomo.

Não existe a natureza morta,
Porque há o recomeço da vida.
Com belas folhas que conforta.
O velho tesouro que vai de partida.

É assim que se faz o outono!
De nossas vidas, que somos.
As folhas douradas do pomo
Pela mesma fase passamos.

Não revivemos qual a natureza,
Quando somos verdes passamos
Para a maturidade com destreza.
Experiência e amor nós brotamos.

No coração do ser humano
O amor se torna mais perfeito.
Quando o homem vive seu outono,
É como carregar um tesouro no peito!

Ronaldo Balbacch

São Paulo, SP, 26 de dezembro de 2008.

O MEU AMOR POR VOCÊ!

O meu amor por você é perfeito,
Alegre, feliz, gentil, carinhoso.
Sinto prazer em tê-la junto ao peito
Porque vivo este sonho maravilhoso.

Nos teus braços eu vivo a vida
São os aconchegos dos dias meus
Amo-te tanto minha querida
Para um dia ter belos filhos teus.

Sinto a harmonia dos dias
Encantado com o teu amor
Quantas alegrias e maravilhas
Ao fazer o amor puro e sem pudor.

Num belo gesto de carinho
Sinto a ternura do teu olhar
Sei que não estou sozinho
Porque tenho você para amar.

A noite é de alegria
Os dias são de eterno calor
As horas passam em harmonia
No calor dos teus seios o louvor.

Colho as mais belas das flores
No belo jardim do amor
Para ofertar-te com louvores
Mulher formosa fonte de calor.

Ó coração puro e apaixonado
Vibra no peito o eterno amor
Ao tocá-la sinto o gosto do pecado
Que provem do teu beijo embriagador.

Ronaldo Balbacch

São Paulo, SP, 26 de dezembro de 2008.


UM BELO AMOR!

Tua boca cor de carmim...
Teu olhar encantador
Delírios do meu Serafim...
Ó doce flor de sublime odor.

Beijos doces e molhados
Eternos momentos...
Que jamais serão apagados
Dos meus pensamentos.

Bela rosa avermelhada
Beijo tua boca a contento
Sinto a vida encantada
Quais pétalas jogadas ao vento.

Lábios de mel puro e doce...
Arrepios e sensação de prazer
Desejos que teu corpo trouxe
Para meu corpo aquecer.

Loucuras, sonhos e paixão
Abraços incontidos no calor
Dos corpos o puro tesão...
Do mais perfeito e eterno amor.

Sinto o calor dos teus abraços
Flutuo no teu belo corpo
Beijo teus belos traços...
Que fazem do amor o topo.

Formas que se encaixam
De modos gentis e perfeitos
Perfumes de rosas exalam ...
Quando beijo teus lindos seios.

Tua boca cor de carmim...
Teu olhar encantador
Delírios do meu Serafim...
Doce flor de sublime odor.

Ronaldo Balbacch

São Paulo, SP, 23 de dezembro de 2008

Caixa de Recados (1 comentário)

Você precisa ser um membro de Associação Internacional de Escritores e Artistas para adicionar comentários!

Entrar em Associação Internacional de Escritores e Artistas

Às 15:03 em 26 agosto 2015, hope disse...
Olá Paz seja convosco,

Eu desejo que você e sua família momentos felizes da vida agora e para sempre amém. Por favor, eu não tenho relação formal com você, mas por causa da minha situação e as circunstâncias presente Eu sou feito entrar em contato com you.I ter sido vítima de câncer e têm uma vida curta para leave.I fiz a minha mente para doar a minha herança de 6,5 milhões de USD para os menos privilegiados por favor me ajude a cumprir o meu último desejo.

Entre em contato comigo através do meu e-mail privado: glorysamuel54@gmail.com

Espero ouvir de você

Obrigado

Mrs Glória Samuel.
E-mail: glorysamuel54@gmail.com
 
 
 

© 2017   Criado por Izabelle Valladares.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço