Esta é uma rede social de escritores,artistas plásticos  e músicos, para associar-se a Literarte - Associação Internacional de escritores e artistas, entrem no site www.grupoliterarte.com.br e conheça todas as vantagens em ser um associado!

 

 

SERGIPE E AS MAIS UNIDADES FEDERATIVAS DO BRASIL

SERGIPE E AS MAIS UNIDADES  FEDERATIVAS DO BRASIL
Teodósio de Mello, no seu dedicado estudo sobre a colonização do Brasil, por pesquisas várias, foi recolhendo dados sobre o feito dos portugueses, a partir de 1500, no Brasil.
Este país sul-americano é composto por vinte e sete estados (dependências federativas), alguns já constituídos depois da sua independência, pela governação, por desmembramento de outros.
Além do Distrito Federal Brasil, já apresentado, ficam aqui registados os restantes pesquisados por Teodósio de Melo.
SERGIPE:
Politicamente emancipada de Bahia em 8 de Julho de 1820, como capitania de Sergipe D’El-Rei viria, a ser elevada a província, quatro anos depois e a estado depois 69 anos.
A sua colonização, teve início na segunda metade do século XVI, aquando da chegada de navios franceses, em que os seus tripulantes iam trocando diversos objectos por produtos da terra, como pau-brasil, algodão ou pimenta-da-terra.
Entre os finais do século XVI e as primeiras décadas do XVII, a presença dos missionários e várias expedições militares portugueses, afasta os franceses e vence a resistência indígena.
A partir daí, deu-se grande miscigenação entre portugueses e índios.
Entrementes, Garcia d’Ávila, proprietário de terras da região, iniciou a conquista do território, contando com a ajuda dos padres jesuítas para catequizar os nativos.
Na verdade a conquista deste território e a sua subsequente colonização, vieram a facilitar as comunicações entre a Bahia e Pernambuco e impediram ainda as invasões de franceses.
Surgem as primeiras povoações, como o arraial de São Cristóvão.
A capitania de Sergipe D’El-Rey, foi colonizada em 1590, após a destruição de indígenas hostis e começa a exploração do açúcar.
A existência de áreas inadequadas à plantação de Cana-de-açúcar, no litoral, favorece o surgimento das primeiras criações de gado.
Além da produção, de carne e couro, Sergipe tornou-se fornecedor de animais de tracção para as fazendas da Bahia e Pernambuco.
Aquando das invasões holandesas, nas primeiras décadas do século XVII, a economia foi prejudicada. Expulsos estes e retomada a região, pelos portugueses em 1645, o território, na época fazendo parte da Bahia, em 1723 foi responsável por um terço de açúcar.
Como capital deste estado, temos Aracaju, que sucedeu a São Cristóvão, a antiga capital da capitania de Sergipe.
RONDÓNIA:
Os portugueses começaram a percorrer o território do actual estado da Rondónia no século XVI, porém só no seguinte, com a descoberta do ouro aumentou o interesse pelas terras da região.
Em 1776 a construção a construção do Forte Príncipe de Beira, na margem do rio Guaporé veio a estimular a implantação dos primeiros núcleos coloniais.
A Rondónia só bastante mais tarde, por desmembramento de parte do Mato Grosso e do Amazonas, veio a ser estado, com a capital em Porto Velho.
TOCANTINS:
O estado de Tocantins só foi criado no fim de século XX, por desmembramento de parte de Goiás, ficando com a capital na cidade de Palmas, para o efeito, criada de raiz.  
ACRE:
Rio Branco é a capital do Acre, unidade federativa do Brasil, cujo território ocupou militarmente, vindo a incorporar, por negociação com a Bolívia, até então sua detentora.
PIAUI:
No princípio do século XXI, os fazendeiros da região do rio São Francisco, procuravam expandir, as suas criações de gado. Os vaqueiros vindos, principalmente da Bahia, chegaram procurando pastos e passaram a ocupar as terras ao lado do rio Gurgueia.
Em 1718 o território até então na jurisdição da Bahia, passou para a do Maranhão.
Em 1811. O príncipe D. João, cinco anos antes de ser coroado rei de Portugal elevou Piauí a capitania independente.
Mais tarde, a sua capital, passou a ser sediada em Teresina, centro-norte do Território, a única capital nordestina, que não se localiza, nas margens do oceano atlântico.
Daniel Costa

Exibições: 8

Comentar

Você precisa ser um membro de Associação Internacional de Escritores e Artistas para adicionar comentários!

Entrar em Associação Internacional de Escritores e Artistas

© 2017   Criado por Izabelle Valladares.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço